sábado, 21 de maio de 2022 - 18:22h - 1333
Ciclo do Marabaixo 2022: Retirada de mastro marca um dos pontos altos do festejo
Ainda neste sábado, 21, as caixas rufam no barracão Tia Gertrudes. No domingo, 22, a festa é nos demais barracões.
Por: Gabriel Penha
Foto: Gabriel Penha/ Fundação Marabaixo

Muito rufar de caixas, balançar de bandeiras e a confraternização entre os grupos marcaram a retirada dos mastros nas matas da comunidade do Curiaú, na manhã deste sábado, 21. 

O ritual, um dos pontos altos do Ciclo do Marabaixo, reuniu festeiros dos barracões Berço do Marabaixo, Marabaixo do Pavão, Raízes da Favela (Dica Congó), Raimundo Ladislau e Campina Grande.

Neste ano, o ritual acontece de forma presencial, após dois anos sem ocorrer devido a pandemia da Covid-19. 

Depois da retirada da madeira, as caixas rufaram ali mesmo, na rodovia AP-010, com a festa se estendendo para um grande almoço oferecido a festeiros e convidados.

“É um momento de interação entre os realizadores do Ciclo do Marabaixo 2022”, resume Solange Costa, representante da União Folclórica de Campina Grande. A comitiva do grupo estava marcando presença no momento tão esperado.

Ainda neste sábado, 21, as caixas rufam no barracão Tia Gertrudes (Berço do Marabaixo). No domingo, 22, a festa é nos demais barracões.

Apoio do Governo do Estado

Reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2018, o Ciclo do Marabaixo recebe apoio do Governo do Estado, com investimento de R$110 mil, através da Secretaria de Cultura (Secult), divididos igualmente entre os grupos realizadores. A programação também recebe apoio institucional da Fundação Estadual de Promoção da Igualdade Racial, a Fundação Marabaixo, órgão que substitui a extinta Seafro.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá